Início Internacional “Onda azul” – Qual onda azul?

“Onda azul” – Qual onda azul?

12
0

Trump considerou no tweeter uma noite de “Tremendo Sucesso”.

Não sendo propriamente uma grande vitória e sendo a imagem exagerada (já estava feita), foi uma noite relativamente positiva, mas não a vitória que todos achávamos justa.

Republicanos continuam com a maioria no orgão mais importante que é o Senado (a grande prioridade de Trump) mas perdem lugares para os democratas na “Casa dos Representantes”.

Se tivermos em conta a história recente, com Obama e Bill Clinton sendo esmagados nesta mesma situação, Trump obteve um sucesso bem maior do que ambos.

Com praticamente toda a imprensa a retratar Donald Trump como a encarnação do Hitler durante dois anos consecutivos.

Com os bilhões infinitos que foram gastos nesta campanha para os democratas.

Com todas as alegações de fraudes que invariavelmente, são sempre reportadas pelo mesmo lado, e umas urnas também muito pouco confiáveis.

Se tivermos em conta tudo isso e muito mais: foi um feito notável.

Dos democratas espera-se que continuem a investir todos os esforços em mais investigações para tentar remover Trump do poder. E a não fazer nada mais que não seja: odiar Trump, destruir Trump, “Homem Laranja Mau”.

Nunca aceitaram, e jamais irão aceitar o resultado eleitoral de 2016. Como bons democratas que são, não suportam ver Trump tentando reverter todos os seus projetos de poder.

Porém sem o apoio do Senado, os democratas não conseguirão fazer grande coisa para além de obstruir e empatar os projetos de Donald Trump e a vida dos americanos. Tal como fundos para a construção do muro, cortes de impostos, ou o orçamento.

Na prática a Casa dos Representantes, apesar de ter maioria republicana não era favorável a Trump, e fez-lhe obstrução. Agora ficará oficialmente nas mãos dos democratas.

Possivelmente teremos umas das mulheres mais senis da política “Nancy Pelosi” como representante máxima nessa casa.

De salientar ainda a vitória de Ted Cruz no Texas e a vitória republicana na Florida também, duas cidades importantes onde a corrida foi equilibrada.

Tudo isto, e face a tudo o que se tem passado, face às propostas dos democratas, e face a todos os sucesso de Donald Trump é ainda assim alarmante.

Os EUA, tal como o resto do mundo: está doente.

Em 1990, e com tudo o que se passou neste últimos 2 anos, tenho imensas dúvidas que o Partido Democrata conseguisse mais de 5% dos votos.

Um partido que se propõe na prática abolir as fronteiras (ou seja: a nação) deveria na realidade ser extinto e não concorrer a eleições.

Os pêsames para todos aqueles que viram os seus Estados transformados em Estados Democratas, ou seja, para todos aqueles que vão ver uma subida na criminalidade, impostos e miséria, entre outras coisas.
Avaliação:4.98
Visualizações:827
Link do Youtube