Início Artigos A MÍDIA:Como sabemos o que sabemos?

A MÍDIA:Como sabemos o que sabemos?

66
0

A manipulação da mídia é ainda mais profunda do que imaginávamos.

Enquanto eu sento aqui escrevendo, uma coisa terrível está acontecendo.Começou no meio da semana, mas não há nada sendo relatado no noticiário nacional. Nenhuma câmera de TV ou entrevistas na rua. Eu vi sinopses em Drudge e Breitbart esta manhã (domingo), mas sem grandes problemas. A partir deste momento, 54 dos 93 condados de Nebraska foram declarados áreas de desastre. Dezessete rios registraram inundações e cerca de seis milhões de pessoas foram afetadas. A Base Aérea de Offutt, perto de Omaha, parece mais um mar interior – trinta edifícios estão fechados devido às inundações. Dakota do Sul e Iowa também foram afetadas.

Este foi um inverno rigoroso e muita neve acumulada e gelo se formou em todos os rios. Então, de repente, o tempo mudou e a maior parte do H2O ficou líquida.O que não derretia flutuava em alta velocidade em blocos do tamanho de carros, arrancando elevadores de grãos e celeiros, destruindo casas e empresas. Eu vi uma foto de uma cozinha cheia até o topo dos balcões com gelo carregado de sujeira.

Ao mesmo tempo, chuvas pesadas começaram a cair. Até agora centenas de pessoas tiveram que ser evacuadas de 29 pequenas comunidades agrícolas que agora são mais ilhas do que cidades. Ninguém sabe quantos animais foram congelados ou afogados. Isso não é água morna – está a apenas um degrau do gelo e sopra um vento selvagem. Uma foto que vi mostrava um aglomerado de cerca de 30 cabeças de gado amontoadas em uma pequena colina no meio do que parecia ser um vasto lago sem margens, mas era realmente o rio Platte bem acima de suas margens. Um piloto de helicóptero disse que havia muito mais pequenas ilhas bovinas em toda a paisagem.

Freemont, Nebraska, está completamente isolado – não há estradas sobrando. As rodovias não são apenas cobertas em pés de água, elas estão completamente rasgadas ou tão cheias de pedras de gelo que ficam intransitáveis. Diques foram violados e muitas pontes foram destruídas pelo gelo revolto. E este é o Nebraska – o inverno ainda não acabou.

Enquanto isso, de volta ao rancho, a nevasca do ciclone da bomba que atingiu Denver também atingiu a metade ocidental de Nebraska, despejando pés de neve.Na quinta-feira I-80 de Grand Island, Nebraska para Wyoming foi fechado.Ventos de setenta milhas por hora estavam soprando as semifinais para os lados.A metade ocidental de Nebraska é um país de gado e trigo. É escassamente povoada por fazendeiros cujos spreads podem cobrir milhares de acres e podem ter milhares de cabeças de gado nessas colinas de areia solitárias. Como você protege seus rebanhos nesse tipo de tempestade? Você não – eles apenas congelam.

Este desastre me atinge pessoalmente porque Nebraska é meu estado natal, e apesar de eu não ter vivido lá por mais de 40 anos, a pradaria ainda está no meu sangue, e vendo a pequena cidade Garrison Keillor de meus avós coberta em quatro pés de água quebra meu coração. Ouvir que minha cidade natal, Lincoln, está preocupada com o suprimento de água – uma cidade de 250 mil almas – me assusta. Eu tenho pessoas lá.

Mas o que mais me incomodou foi a constatação de que as notícias nos contam muito pouco do que está acontecendo no mundo. O noticiário da TV continua 24 horas por dia e não há uma única história sobre o coração deste país e o sofrimento e a luta de nossos compatriotas americanos. Não até que a história tenha três dias, faz menção honrosa. Duas pessoas estão mortas até agora – uma porque ele estava tentando resgatar outra vítima. Deve haver, se eu conheço meus colegas de Nebraska, muitas histórias de heroísmo e mágoa, mas se minha prima e seus filhos não estivessem enchendo o Facebook de fotos, eu não saberia ainda que alguma coisa estava acontecendo.

 Na semana passada, do outro lado do mundo, 32 cristãos nigerianos foram brutalmente assassinados por jihadistas.Algumas fontes missionárias dizem que o número está mais próximo de 200. Isso tem sido notícia? Não. Nós ouvimos tudo sobre o ataque à mesquita em Christchurch, mas não uma palavra sobre a Nigéria. Nos últimos anos, 6.000 cristãos nigerianos foram assassinados – queimados em suas próprias igrejas, decapitados, mutilados. Mas sem grandes notícias. Silêncio.

O que mais está acontecendo que não conhecemos? Como nossas opiniões e decisões são moldadas pelo que não ouvimos? Eu entendo que é caro enviar repórteres procurando por histórias, quando tudo que você precisa fazer para atrair os espectadores é contar uma outra história sobre o absurdo que o mais recente maluco de esquerda tem falado. E é verdade, isso é assustador o suficiente, mas como podemos formar opiniões razoáveis ​​se não soubermos a metade? E acrescente a isso o fato demonstrável de que a maioria dessas organizações noticiosas mentirão para se adequar a qualquer narrativa que esteja acontecendo.

Suponho que essas inundações, as piores que o estado já viu em meio século, serão notícia assim que os HSH conseguirem uma maneira de culpar Trump ou o aquecimento global. Enquanto isso, por mais que seja ruim e questionável, as mídias sociais são tudo o que precisamos fazer, e sabemos que isso está sendo manipulado.

Portanto, devemos manter nossos olhos abertos, procurar a verdade por toda parte e ficar em contato com as pessoas que amamos. E orem por favor – para os nebraskanos – eles são pessoas resistentes e resistentes, mas isso está empurrando os limites de qualquer pessoa – e para os nigerianos, cujas vidas devem ser aterrorizantes, e para todas aquelas pessoas que precisam de ajuda e sobre as quais não sabemos nada.

Deana Chadwell bloga em www.ASingleWindow.com . Ela também é professora adjunta e chefe de departamento no Pacific Bible College, no sul do Oregon. Ela ensina a escrever e falar em público.

Link Externo
publicado no site americanthinker.com